Atualmente, esta seção não inclui nenhum conteúdo. Adicione conteúdo nesta seção usando a barra lateral.

Image caption appears here

Add your deal, information or promotional text

7 - Travessia em águas azuis até aos Açores

* Os viajantes devem ter mais de 14 anos e menos de 80 anos para serem elegíveis a embarcar na viagem

4 beliches disponíveis

Destino: Lisboa, Portugal – Angra do Heroísmo, Terceira, Açores

Datas:10 (embarque às 10h00) – 19 de julho (desembarque às 10h00)

Milhas: 855

Destaques da viagem

  • Partida de Lisboa, junto à ponte suspensa 25 de Abril
  • Viagem de 855 milhas náuticas até ao Açores com o habitual vento de norte
  • Experimente na prática a arte de velejar em todos os aspetos da vida do navio
  • Observe baleias e golfinhos, peixes, ouça e conte histórias no bar ou perca-se com um bom livro
  • Uma viagem com todo o conforto no recentemente renovado Santa Maria Manuela
  • Apoie o nosso projeto de ciência cidadã de sensibilização para o problema do lixo marinho
  • Após o desembarque no final da viagem, pode optar por passar alguns dias a explorar os vulcões da Terceira e nadar nas piscinas de lava.

Descrição da viagem

Em 2016, a National Geographic Traveller elegeu o arquipélago dos Açores como o lugar mais bonito do mundo e a melhor forma de chegar a estas ilhas é a bordo do Santa Maria Manuela.

Esta travessia de 855 milhas náuticas de águas azuis é uma experiência clássica de navegação de veleiros. O vento habitual durante esta viagem vem de norte, pelo que esperamos navegar toda a viagem com o vento pelo través, tal como projetado há 80 anos quando navegava para a Terra Nova nas expedições de pesca de bacalhau.

Não há nada que a nossa tripulação aprecie mais do que partilhar os seus conhecimentos da arte da navegação com os nossos passageiros, incentivando-os a participar em todos os aspetos da vida a bordo. Voluntários para içar os gavetopes e ajustar o velame são sempre bem-vindos. Estar ao leme de um veleiro de 67 m e sentir como reage aos comandos do timoneiro é algo que ficará para sempre gravado na memória.

As aulas de nós são uma excelente forma de aprender uma habilidade nova enquanto contamos e ouvimos histórias de navegação à vela com os outros tripulantes. Além disso, se o estado do tempo o permitir, haverá a oportunidade de subir ao mastro, ou de descontrair na rede do gurupés. Uma bebida ao pôr do sol no convés será a forma perfeita de encerrar o dia.

2023 irá marcar o 39.o aniversário da proibição de pesca da baleia nos Açores. Desde 1984 que o número de baleias aumentou e estas regressaram aos seus antigos locais de alimentação dos Açores. À medida que nos aproximamos das ilhas, poderemos ter sorte de avistar uma destas magníficas criaturas. Os cachalotes são as espécies residentes, juntamente com baleias azuis, comuns e sardinheiras e os roazes, golfinhos comuns e malhados do Atlântico também são comuns nesta altura do ano.

Ao tentar avistar baleias ao pôr do sol, é impossível resistir à beleza e poder do oceano. À medida em que nos aventuramos no Oceano Atlântico, pode parecer igualmente impossível que o homem possa ter tido algum impacto sobre uma extensão de água tão remota. É nesta altura que, graças ao apoio dos nossos parceiros da Waste Free Oceans, convidamos os nossos passageiros a participarem no nosso projeto de ciência cidadã para ajudar a avaliar a pureza das águas em que navegamos. Em intervalos durante a viagem, lançaremos uma pequena rede de arrasto para capturar o que está a flutuar no oceano, seja plâncton, peixes ou pequenos pedaços de lixo marinho e microplásticos. Muitas pessoas consideram chocante encontrar provas do impacto humano no meio ambiente a centenas de quilómetros da costa, mas ver isso tem um efeito poderoso, inspirando-nos a agir. A sua contribuição ajudará a reforçar a consciencialização e a inspirar a mudança.

Terminamos a nossa viagem na Terceira, onde atracamos em Angra do Heroísmo, cidade património mundial da UNESCO e a mais antiga dos Açores, com o seu forte do século XVI e centro renascentista. A Serra de Santa Bárbara em Algar do Carvão com a sua chaminé vulcânica de 90 metros de profundidade e as pequenas vinhas da ilha e as piscinas de lava em Biscoitos são dignas de visita após o desembarque.

Pesquisa